SEJAM BEM-VINDOS(AS) A SUÍÇA DO SERIDÓ

Quem visita o município seridoense de Cerro Corá, no alto da Serra de Santana, a quase 600 metros acima do nível do mar vai encontrar atrativos que só a Suíça do Seridó oferece. O clima serrano convidativo se une as paisagens únicas proporcionando aos visitantes momentos de puro encanto e prazer. Entre os pontos que não podem deixar de serem conhecidos estão a nascente do Rio Potengi, os cenários fascinantes do vale vulcânico, as serras Verde e da Rajada, com suas esculturas naturais curiosas e sítios arqueológicos com inscrições rupestres. Mas quem botar os pés por aqui não pode deixar de apreciar um verdadeira aula de história visitando a Casa Grande e os prédios arquitetônicos preservado do centro da cidade. Cerro Corá também é umas das seis cidades que formam Geoparque Seridó.

E se você já estiver extasiados com seus atrativos locais, saiba que ainda pode ficar melhor, conhecendo seu povo acolhedor e feliz, as delícias da sua culinária e a riqueza do artesanato, tudo isso, em um ambiente propício para um brinde com uma taça de vinho ou um chocolate quente. Quer mais? Venha conhecer, e sempre busque a orientação de um guia local.

CONHEÇA OS LOCAIS QUE VOCÊS NÃO PODEM DEIXAR DE CONHECER.

NASCENTE DO RIO POTENGI
Cerro Corá tem o privilégio de possuir em suas terras a nascente do principal rio do estado do Rio Grande do Norte. Descoberto pelos primeiros colonizadores portugueses, no século XVI, o Rio Potengi ficou conhecido como "Rio Grande", pelo seu vasto leito e extensão. Depois passou a ser chamado por Rio Potengi, que em tupi significa "Rio de Camarões", dado pelos índios potiguares, apelidados de “comedores de camarão”, que viviam em uma grande aldeia à sua margem.

O rio nasce a mais a quase 600 metros acima do nível do mar, e a partir de um filete de água que surge em Cerro Corá, vai ganhando proporção, e após percorrer 176 quilômetros e passar por mais sete municípios: São Tomé, Barcelona, São Paulo do Potengi, São Pedro, Ielmo Marinho, São Gonçalo do Amarante, Macaíba, desemboca majestoso no litoral de Natal, no oceano Atlântico.

O acesso para conhecer é uma trilha de mata fechada de cerca 500 metros até a nascente do rio.


SERRA VERDE
O Geossítio Serra Verde está situado a 11 km do centro de Cerro Corá. Lá estão situados atrativos geoturísticos que envolvem formações rochosas curiosas, esculpidas pela ação do vento, que brinca com o imaginário dos visitantes. As mais famosas são a Pedra do Nariz, Pedra Cabeça do Cachorro.

PEDRA DO NARIZ - De longe a formação lembra um nariz. O atrativo situa-se a 17 km do centro da cidade. A trilha a pé é de grau leve, totalizando 880m.

PEDRA CABEÇA DO CACHORRO - A formação foi assim intitulada devido à semelhança a um cachorro vista de certo ângulo. O atrativo localiza-se a 17 km de distância do centro da cidade, A trilha a pé é de grau leve, totalizando 880m.

PEDRA DO TUBARÃO - A entrada ao atrativo é gratuita e a principal finalidade da visitação é turismo de aventura, pedagógico e geoturismo. É necessária a contratação de um guia de turismo. A trilha a pé é de grau leve, totalizando 200m.

CASA DE PEDRA – É um conjunto de blocos rochosos de diversos tamanhos e formas que lembram edificações construídas pelo homem. Na parte de baixo da formação rochosa formam-se salões semelhantes aos compartimentos de uma casa. As principais atividades desenvolvidas no local é o turismo de aventura, turismo pedagógico e geoturismo. A visitação ao ambiente é obrigatoriamente guiada e não é cobrada taxa de visitação.

TANQUE AZUL - O tanque é uma formação rochosa em forma de grota utilizada de forma natural para a retenção de água. No local foi encontrada megafauna pré-históricas. A entrada ao atrativo é gratuita, mas é necessário a contratação de um guia. O atrativo situa-se a 17 km do centro da cidade, e a trilha a estado de conservação do atrativo é muito bom.

TOCA DE ZÉ BRAZ - As pinturas rupestres estão localizadas na Zona Rural do município de Cerro Corá. Catalogadas e com um bom grau de conservação. No local, em forma de gruta, abrigou homens pré-históricos, com inúmeras pinturas rupestres de animais e pessoas. Devido à fragilidade das escrituras, a visita até o atrativo é obrigatoriamente guiada. O principal público frequentador do atrativo é composto por turista e as principais atividades desenvolvidas no local são: turismo cultura, pedagógico, geoturismo, turismo de aventura. A visita em todo o geossítio totaliza 800m de grau leve.


SERRA DA RAJADA
CONVENTOS – Cerca de 15 Km do Centro da cidade você chega a uma gruta denominada de “Conventos” formada por diversas rochas que próximas, criam espaços semelhante a grandes salas. As principais atividades desenvolvidas no espaço são: caminhadas, escalada, observação e trilha, percorrendo um total de 250 m. O estado de conservação do atrativo é muito bom, não possuindo depredações. No trajeto até os Conventos ainda estão localizados outros atrativos turísticos, como as formações rochosas “Tomara que Não Caia”, “Pedra da Tartaruga” e a “Pedra do Pecado”.

PEDRA TOMARA QUE NÃO CAIA - A formação foi assim intitulada devido ao posicionamento da mesma sobre outra rocha. Em suas proximidades, encontram-se as formações rochosas: Conventos, Pedra do Pecado e Pedra da Tartaruga. A Principal finalidade da visitação é turismo de aventura, pedagógico e geoturismo.

PEDRA DO PECADO - A formação rochosa leva este nome devido à lenda local, que diz que: “quem passar entre as duas pedras e não encostar na formação rochosa, a pessoa não tem pecados”. A formação encontra-se na área dos Conventos.

PEDRA DA TARTARUGA – Com uma formação que lembra uma tartaruga, o atrativo fica a 15 km do centro da cidade. A Principal finalidade da visitação é turismo de aventura, pedagógico e geoturismo.

VALE VULCÂNICO 
Está situado 15 km do centro da cidade. O acesso ao local é feito por uma trilha com cerca de 2 km que dá acesso ao leito do Riacho da Pedreira, onde são encontradas rochas vulcânicas. Em alguns pontos ao longo da trilha existem mirantes para observação da paisagem. As rochas de basaltos possuem idade de 27 milhões de anos.

O município dispõe de potencialidades relevantes para sua prática, como a trilha ecológica do Vale Vulcânico, cujo vulcão está extinto há 25 milhões de anos. Caminhadas em trilhas ecológicas integram o contato humano com o meio ambiente, tendo como premissa o respeito e a sensibilização dos praticantes em relação à conservação do meio ambiente, onde estão pautadas a contemplação da paisagem, bem como da fauna e da flora local, dentre outras atividades que permitam o contato com a natureza. A trilha do Vale Vulcânico é circular, com duração média de 1 hora e 30 minutos, com aproximadamente 800m, seu grau de dificuldade é difícil.

CRUZEIRO
Está situado na área urbana do município a uma altitude em torno de 610 metros. No local possui um cruzeiro. De lá também se tem uma vista panorâmica da do município, onde se pode contemplar toda a extensão urbana e vizinhanças, incluindo parte do pico vulcânico do Cabugi, que está a 40 km.

ESCORREGO
Os escorregos possuem esse nome devido diversas formações rochosas onde percorrem cursos de água, as primeiras corredeiras do Rio Potengi. Bem próximo da cidade, em período chuvoso, o Escorrego atrai visitantes para se deliciar com o espetáculo das águas. Com acesso por uma trilha leve você encontra várias cachoeiras e pedras lisas que servem de “escorregos” para os banhistas.


TÚNEIS DA ESTRADA DE FERRO
A Linha Férrea situa-se no distrito rural Recanto. Abandonada, encontra-se junto com pontilhões da estrada de ferro são estruturas resultantes da interrupção da construção da linha férrea que ligaria o litoral ao Seridó. Iniciada em 1912, no Governo de Washington Luiz, tinha como objetivo transportar o algodão produzido naquela região para exportação.
Os túneis começaram a ser abertos pelos ingleses e alemães para o transporte de algodão, mas jamais foi concluído, devido à dificuldade de se perfurar a Serra. Essa estrada de ferro daria acesso às cidades de Angicos e Lajes. A sigla que está quase ilegível, existente ainda hoje no túnel, significa: EFCRGN- Estrada de Ferro Central do Rio Grande do Norte, ramal Lajes - Caicó.


SERRA DE SÃO JOÃO
A Serra de São João é um potencial turístico a ser desenvolvido, possui trilha de difícil acesso que corresponde a 6 horas de caminhada, por isso, normalmente as pessoas que visitam o atrativo acampam no local, no topo da Serra de São João é possível contemplar a paisagem do Açude Pinga e o município de Cerro Corá, bem como, o Pico do Cabugi, sendo o ponto culminante do município.

TANQUE DOS GARROTES
O “Tanque dos Garrotes” possui esse nome devido ser local de consumo de animais bovinos. Está localizado no Sítio Arroz, ainda possui visão panorâmica da paisagem no município de Cerro Corá.

MIRANTE DO PEPILA
Está localizado no Sítio Chã da Divisão, zona rural de Cerro Corá. De propriedade privada, possui estrutura de visitação, como restaurante, espaço para eventos, sendo um local ideal para contemplação da paisagem da Serra de Sant´Ana.


CAPELINHA DO MILAGRE E O POÇO DE JACÓ
Estão situados na comunidade Manjericão, zona rural de Cerro Corá, e foram construídos pelo agricultor Elói Ferreira, sendo uma orientação do Padre Cícero Romão Batista dada ao agricultor, que de acordo com o imaginário social e narrativas populares, “ele saiu a pé da Serra Verde, para pedir ajuda e falar com o Padre em Juazeiro, Ceará, pois naquela época, em 1913, na região havia uma grande seca. Então, o padre orientou que o agricultor voltasse a sua casa, e que da porta da casa se contasse 40 passos, no pé da serra fosse cavado que daria água, assim o agricultor fez e encontrou água”. O poço possui bastante água desde então e até o momento nunca secou. Dessa forma, o agricultor construiu a Capelinha do Milagre, em 1915, que tem como santa padroeira, Nossa Senhora Perpetuo Socorro.

AÇUDE PINGA E A ILHA DO SOSSEGO
Localizado no Sítio Pinga numa propriedade privada, começou a ser construído em 1982 e finalizado em 1983. Foi construído pela Engenharia e Combate do Exército. É o manancial que abastece a cidade de Cerro Corá, edificado para suportar 4 milhões de metros cúbicos de água e tem 15 metros de profundidade, já chegou a abastecer as cidades de Cerro Corá e Lagoa Nova. Existe uma ilha no meio do manancial com uma casa na qual há uma estrutura de mirante. Quando o açude está cheio, o acesso se dá por meio de canoa.

AÇUDE ELOY DE SOUZA
Inaugurado em 1937, pelo Senador Eloy de Souza, por isso deu-se origem ao nome do reservatório. É um cartão postal do município de Cerro Corá que se encontra na região central da cidade. O Rio Potengi perpassa por esse reservatório, e nos finais de tarde brinda os visitantes com um espetacular pôr-do-sol.


IGREJA MATRIZ DE SÃO JOÃO BATISTA
Fundada em 28 de abril de 1957, a Paróquia de São João Batista pertence à Diocese de Caicó. Fica localizada na Avenida São João, no Centro da cidade. Na sua inauguração houve uma grande festa na cidade, para comemorar o acontecimento. Na época compareceram políticos e coronéis importantes, o Prefeito era Sérvulo Pereira, além da cúpula da igreja Bispo Diocesano Dom José Adelino Dantas, Monsenhor Paulo Herôncio de Melo. Na solenidade deu-se a leitura do Decreto Diocesano de Criação da Paróquia assinado por Dom José Adelino Dantas e o Bispo de Caicó, Ônio Caldas de Amorim, na época padre e secretário do bispado. O seu primeiro pároco foi o Cônego Deoclides de Brito Diniz.

CASA GRANDE
Quem chega ao centro de Cerro Corá é impossível não chamar a atenção pela beleza e conservação. A Casa foi construída em 1896, adquirida no ano de 1913, e reformada em 1915 pelo Sr. Tomaz Pereira. Durante o período de 1896-1915 foi utilizada como pousada, abrigando tropeiros, viajantes e trabalhadores que pela cidade passavam. A partir de 1915 foi reformada para ser residência da Família de Tomaz Pereira. É uma propriedade particular e não está aberta à visitação.

PALÁCIO DA PREFEITURA
O Palácio Municipal ou Prefeitura de Cerro Corá está localizado no centro da cidade, na Praça Tomaz Pereira. Antigamente o prédio funcionava como uma escola. Foi reformado totalmente para se tornar o prédio oficial da prefeitura municipal em 1953, em que funcionam as instalações o gabinete do prefeito e da secretaria de finanças nos dias atuais.


 ** Fontes: Geoparque Seridó / Inventário Turístico de Cerro Corá - UFRN