VAMOS DESBRAVAR OS ATRATIVOS
O município de Acari está localizado na região do Seridó potiguar, compondo o Polo Seridó, e sendo uma das seis cidades do projeto Geoparque Seridó, onde possui quatro geossítios.

Acari é um dos municípios mais antigos do interior do Estado do Rio Grande do Norte. Por ser uma das localidades nas quais começaram o povoamento nessa região, o município guarda um acervo de riqueza pré-histórica, histórica e cultural de grande relevância para o Estado, com sítios arqueológicos, monumentos arquitetônicos, formações geológicas, casas de fazendas do período colonial, além das tradições e saberes existentes na história e na memória do seu povo. Esta diversidade foi reconhecida quando tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional (IPHAN), dois prédios, a Casa de Câmara e antiga Cadeia, atual sede do Museu Histórico de Acari, e a Capela de Nossa Senhora da Guia, hoje, Igreja de Nossa Senhora do Rosário, datada do século XVIII.

O GARGALHEIRAS
Quem vier a “Vedete do Seridó” não faltará o que fazer e conhecer. Berço de paisagens exuberantes, um dos locais que não pode deixar de ser visitado é a barragem Marechal Dutra, o Gargalheiras, uma dos maiores do Nordeste, com capacidade de acumulação de 40 milhões de metros cúbicos de água. A apenas 4 km do centro da cidade, foi eleita a terceira maravilha do Rio Grande do Norte. E não foi por acaso, construída entre os gargalos formados por serras, o local é a combinação perfeita da natureza com a mão do homem, com formações rochosas de encher os olhos de quem o visita, mesmo com os efeitos das severas estiagens dos últimos anos, que impossibilitou o tradicional “véu do transbordamento”, comum em anos de muito inverno.

Mas se não tem transbordamento, tem as formações geológicas locais, que proporcionam aos aventureiros diversas opções de trilhas, rapel, história e paisagens simplesmente espetaculares. A trilhas as serras do Pai Pedro, Minador e da Lagoa, com altitudes entre 600 e 650 metros, por onde passa o Rio Acauã, são obrigatórias, mas apenas com o acompanhamento dos guias da cidade, especializado neste tipo de turismo de aventura.


POÇO DO ARROZ
O Geossítio Poço do Arroz está situado a 2,5 km, do centro de Acari. Na região são encontradas marmitas ou caldeirões, que se constituem em cavidades produzidas pela erosão fluvial. O movimento turbilhonar das águas do Rio Acauã carregadas de sedimentos produziram atrito suficientemente capaz de desgastar as rochas, induzindo a estas formações. O local possui ainda gravuras rupestres, talhadas no granito, retratando inúmeras figuras geométricas, características da Tradição Itaquatiara.


CRUZEIRO 
O Geossítio Cruzeiro de Acari está situado na área urbana do município, no início da antiga RN-11 (atual RN-228) que liga Acari a Cruzeta, ao lado do Museu do Sertanejo.
Neste geossítio está inserido no Granito de Acari, tendo sido datado em 577 milhões de anos. É muito visitado por estudantes de graduação em geologia de instituições universitárias, bem como é parada de excursões científicas.

MARMITAS DO RIO CARNAÚBAS
O Geossítio Marmitas do Rio Carnaúba está situado a 8,5 km, do centro de Acari, ao longo do rio, próximo a Comunidade Barra da Carnaúba. No local ocorrem marmitas ou caldeirões que são cavidades produzidas em função da erosão fluvial. O movimento turbilhonar das águas do Rio Carnaúba carregadas de sedimentos produziram atrito capaz de desgastar as rochas, induzindo à formação das marmitas. Soma-se a isso a presença, em algumas marmitas, de inscrições rupestres da Tradição Itaquatiara, realizadas por povos que habitaram a região do Seridó há cerca de 2.500 anos.

MUSEU DO SERTANEJO
Uma verdadeira viagem no tempo e na cultura sertaneja nordestina. Assim é o Museu Histórico de Acari, localizado no antigo prédio da cadeia da cidade. Construído em 1887 para abrigar a força pública, a cadeia e a intendência de Acari, o prédio de estilo neoclássico, também foi palco de bailes românticos e das primeiras sessões de cinema da cidade.

Tombado pelo IPHAN em 16 de junho de 1964 e restaurado em 1980, transformou-se em museu em 1990. Desde então divulgam a história das duas antigas principal fontes econômicas do município: a criação de gado e o cultivo do algodão. Em seu acervo se destaca o artesanato, a moradia rural, utensílios domésticos, de trabalho, armas, instrumentos musicais, entre outros, que representam os costumes do homem sertanejo e sua história.

O local é um dos mais expressivos celeiros culturais do Nordeste Brasileiro e, conta no seu acervo à história do homem sertanejo, além de sediar eventos culturais, como lançamento de obras literárias, exposições temporárias, o Auto de Natal, o pastoril, o coral infantil e oficinas educativas.

Cuidadosamente tematizado para passar ao visitante a impressão de estar participando do dia-a-dia do sertanejo nordestino, o museu oferece um espetáculo diferenciado de belezas naturais, centraliza um acervo artístico e cultural, portanto é um lugarejo privilegiado no meio da caatinga.

Mantido pela prefeitura de Acari, abre suas portas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 11h30 e das 13h30 às 17h30, e aos sábados das 8h às 11h. O espaço também pode ser visitado aos domingos, desde que a visita seja agendada. O telefone é (84) 3433-3988.


IGREJA DO ROSÁRIO E MATRIZ DE NOSSA SENHA DA GUIA
Com parte da sua arquitetura urbana ainda preservada, quem chega a Acari é obrigatório conhecer a Igreja do Rosário, fundada em 1737, ainda como capela de Nossa Senhora da Guia, a segunda mais antiga do Rio Grande do Norte, tombada pelo IPHAN em 1964.

Outra passagem obrigatório é conhecer a beleza da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Guia, construída em 1863, outro local que atrai milhares de visitantes e é palco da tradicional Festa da Padroeira da cidade.



** Fontes:
- ELABORAÇÃO DA AVALIAÇÃO AMBIENTAL ESTRATÉGICA DO CONJUNTO DE AÇÕES INTEGRANTES DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL PDITS, DOS POLOS TURÍSTICOS COSTA DAS DUNAS, COSTA BRANCA E SERIDÓ
- SITE DO GEOPARQUE SERIDÓ